Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Evento Porsche em Sintra - 2014

por Nuno Saraiva, em 02.06.14

 

 

Ver os detalhes do evento no Rio das Maçãs.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:07

A Sintra pelos sintrenses

por Nuno Saraiva, em 27.08.13

 

Um dia em no Concelho de Sintra, levado por pessoas que conhecem os sítios mais escondidos e menos visíveis turisticamente. Em Colares, não podia faltar a vista da Peninha, Cabo da Roca e Praia da Adraga.

 

Nota: Desconheço a qualidade da organização, não fiz este passeio.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:48




Este verão o programa ciência viva, volta a organizar as visitas ao interior dos faróis nacionais.

Aos visitantes é contada a história do farol, a sua utilidade e o seu método de funcionamento.

E para quem quiser fazer um passeio, pode visitar um dos outros faróis.

No site do projecto ciência viva:

Conheça a história, o sistema de funcionamento e a importância dos faróis para a navegação.
Assista ao espectáculo único do acender de um farol no crepúsculo e descubra os segredos deste valioso património cultural e científico da costa portuguesa.

Inscrições no farol da roca

Outros faróis

(À data de publicação deste post havia 114 vagas até ao final do verão)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:59

Colares e a Internet

por Nuno Saraiva, em 30.04.07



Não sei quem são os caminhantes, mas o vídeo está giro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:55

Visita a Monserrate

por Nuno Saraiva, em 22.04.07
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Hoje esteve uma linda tarde, com muito sol, e fui com a Lucyta passear a Monserrate, ver finalmente o interior do Palácio.

Os bilhetes são caros, oito Euros por pessoa, e foram talvez os últimos, agora são nove. Isto porque para ver o palácio, tem que ser visita guiada e incluir o jardim. Uma visita de 90 minutos.

O jardim, que já conhecia, é sempre agradável e fresco (mesmo nos dias mais quentes e abafados). Tem muitas espécies de plantas e na visita guiada são focados alguns pormenores curiosos do sistema das plantas, bem como uma abordagem à história dos que aqui passaram. (Descobri finalmente porque é que os bogalhos têm sempre uma mosca lá dentro).

O interior do palácio é estranho. Todas as paredes são constituídas por painéis de estuque com motivos muito pequenos, e depois tem muitos arcos, com motivos idênticos. Para qualquer lado que se olhe, só se vê é motivos em estuque. O interior ainda não foi recuperado e há alguns painéis e principalmente os tectos em más condições.

O palácio tem uma história triste, pois um dos donos, por falta de dinheiro, vendeu todo o seu interior, não há uma única peça de mobiliário no palácio (E não é que devia haver lá coisas lindíssimas, como a colecção de mais de cem figuras de Santo António ou saber quão interessante seria a biblioteca daquelas famílias); e pior ainda, vendeu o chumbo que isolava o tecto, o que causou infiltrações e é responsável pela degradação dos tectos.

Uma curiosidade é o facto da sala de música estar imaculada, com todo o estuque perfeitinho, o tecto com umas aplicações em dourado que continuam doiradas e umas estátuas das cabeças das deusas gregas à volta da cúpula estão muito brancas.
Isto não foi por magia, mas sim porque como qualquer sala de música que se preze, o tecto tem que ter uma caixa de ar, para evitar o eco, e foi essa caixa de ar que serviu de "filtro" e não deixou que a água entrasse para esta sala.

Por fim, uma última curiosidade: Vi pela primeira vez uma porta redonda.



Em suma, gosto muito do espaço do jardim, da vista e do exterior. O interior não me é agradável, pois causa-me a mesma sensação que uma casa muito cheia de pequenas coisas. É uma tristeza todo o recheio se ter "perdido" entre particulares, apenas se sabe o paradeiro de um enorme lustre da sala de jantar.

Para saber mais visite o site dos Amigos de Monserrate

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:35

Viver Feliz consigo próprio é ter o seu eu em equilíbrio no aspecto social, amoroso, financeiro, profissional e acima de tudo físico e mental.

Há certas actividades que nos permitem descontrair e ajudar o aspecto físico. A natação é um exemplo disso.

As manhãs de Domingo, são uma óptima oportunidade para disfrutar do que o mundo nos pode oferecer. Hoje:
8.30 Levantar
9.00 Pequeno almoço: 1 pera, 1 kiwi e depois uma caneca de leite com Nesquick
9.15 Caminhada vigorosa de Colares até ao Penedo
Corrida do Penedo até ao Convento do Carmo.
Regresso a caminhar rápido. (Devia ser a correr mas a fraca condição física não o permitiu.)
10.55 4 tangerinas
11.00 lavar o carro.
Proíbido: pensar em trabalho ou outro compromisso.

Quando cheguei ao Carmo, estive aí meia-hora a olhar a vida de Colares. Os carros a passar. A Dona Casimira a caminhar apressadamente. O triste resto do Castelo. De súbito pensei: - Olha daqui não se vê a casa do Comendador João Justino.
Olhei melhor e vi que estava tapada por uma árvore. Andei um pouco para a frente e lá fui pondo a Mansão à vista. Continuei a olhar para a esquerda, quando fiquei de boca aberta e ciciei algo que parecia saído dum adepto azul e branco:

- Fuuuuoooood******-Seeeeeee Cum Caráaaaaa************ooooooooo
- Que é aquilo camandro??????????
- Ainda é maior que a Mansão do G******!!!!!!!

Após este espasmo voltei caminhando pela boca da mata, abri a boca como fazem os tonis quando olham os tectos das igrejas.

Cheguei a casa. Corri para o quintal. O bicho está atrás do monte e não me chateia. Ao menos sirva para apagar o fogo.


E agora sem figuras de estilo: Isto vai dar merda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:11

 

No próximo dia 28 de Outubro pelas 10h, a Alagamares marca encontro, com os seus associados e amigos, para um passeio pedestre guiado, pelo passado, presente e futuro do litoral sintrense, da Praia das Maçãs às Azenhas do Mar. Guiado e orientado pelo escritor João Rodil e pelos arquitectos Jorge Borges e Nuno Oliveira, autores de um projecto de plano de pormenor para aquele segmento em risco da costa de Lisboa, far-se-á um percurso em torno dos vestígios arqueológicos e históricos destas duas localidades, bem como uma visita orientada para a perspectiva arquitectónica e do planeamento possível para perservar esta zona do Promontório da Lua. Do tholos esquecido aos hotéis desaparecidos, da casa de Alfredo Keil à memória de Raul Lino, das adegas às arribas em risco, cem anos de Praia e Azenhas em revista num olhar diferente e revelador.

Inscrições: Através do e-mail da associação ou do número 918626893, até 26 de Outubro. Roteiro gratuito, mas com inscrições limitadas. Encontro junto ao quiosque da Praia das Maçãs, pelas 09h45. Almoço opcional e pago autonomamente para quem o desejar, a marcar no momento da reserva (preços indicados nessa ocasião).

---------------------------------------------------------------------------------
ALAGAMARES - ASSOCIAÇÃO CULTURAL
Caves de S. Martinho, Av. 25 de Abril, n.º 133
2710-250 Galamares - Sintra
Portal: www.alagamares.net, Fórum: forum.alagamares.net
Blogue: blogue.alagamares.net, Email: info@alagamares.net

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:13

Pelos caminhos de Colares

por Nuno Saraiva, em 12.07.06

"Existem lugares onde, mais do que a excelência de monumentos e outros pontos de interesse, é a pacatez do quotidiano que impera, as regras de uma vida sem pressas, com caminhos bordados a verde e trânsito a condizer. A vila de Colares, entre Sintra e o mar, funciona assim. Já teve Posto de Turismo próprio, desactivado há uns quatro anos, como se o interesse do lugar e a sua estratégica posição tivessem, de algum modo, perdido a sua razão de sustentação. Na área, as informações turísticas resumem-se agora a Sintra e ao Cabo da Roca, o ponto mais ocidental do continente europeu, última paragem antes do Atlântico.

Colares foi conquistada aos Mouros em 1147, recebeu o primeiro foral por D. Afonso III em 1255, foi doada por D. João I a D. Nuno Álvares Pereira em 1385, chegou à posse de D. Manuel I, por foral de Novembro de 1516, e permaneceu sede de concelho até 24 de Outubro de 1885, data em que foi «anexada» a Sintra como simples freguesia. É também por isso que a mais pacata maneira de lá chegar, na qualidade de mero pedestre, é partir de Sintra. Junto ao Museu Berardo, encontra-se a paragem do mítico eléctrico da Praia das Maçãs, reactivado em 1997. A paisagem é deslumbrante.

A viagem até Colares dura uma trintena de minutos e as «estações» não são requisito fixo. Pode-se mandar parar o eléctrico em qualquer momento, que a simpatia dos condutores é inexcedível. Um dos mais populares passeios pedestres é o que começa e termina na Várzea de Colares. Tem como pontos de interesse o Pelourinho de Colares, a Rua das Flores, a vegetação na subida para os Capuchos, o Convento de Santa Cruz dos Capuchos, a Quinta do Carmo, o inevitável Penedo e os arcos sobre a estrada Penedo-Colares. É «brincadeira» para seis quilómetros e três horas de caminhada. Outros passeios francamente aconselháveis são os de Praia das Maçãs-Praia da Adraga,Capuchos-Penedo, Capuchos-Peninha-Azóia, Capuchos-Rio da Mula, Alto das Cruzes-Monserrate e Praia da Adraga-Cabo da Roca, propostas que darão ao turista pedonal a verdadeira dimensão das virtudes de Colares.

Pelos itenerários das passeatas a pé se percebe que Colares se arrisca, cada vez mais, a ser um ponto de passagem para outros lugares, quer façam justiça às belezas serranas ou levem o turista ao oceano. Não é de admirar, quando se tem no seu território praias como as da Adraga, Maçãs, Azenhas do Mar ou Ursa. Na Praia Grande, no topo sul, destacam-se os vestígios de 66 pegadas de dinossauros, as mais altas da Península Ibérica. Razão primeira para muitos dos visitantes de Colares é, naturalmente, a qualidade do vinho. A Adega Regional de Colares é visitável e a empresa Coisas do Vinho cuida de organizar provas. Pode, está bem de ver, levar para casa os vinhos da sua preferência.

Apesar da escorreita simpatia do Posto de Turismo de Sintra, as informações mais recentes e os melhores conselhos sobre a Vila de Colares são dados pela Junta de Freguesia. Por exemplo, a empresa Inventura organiza passeios a pé a que chamou «Caminhos de Collares». Vá com saúde e de olhos bem abertos."

Texto: José Alves Mendes, "Única", in Expresso, 14 Maio 2005

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:05

Largo da igreja III

por Nuno Saraiva, em 15.06.06

Photobucket - Video and Image Hosting

O nosso amigo e vizinho Ricardo Carvalho enviou-nos esta fotografia de 1958 disponível no arquivo on-line da Câmara Municipal de Sintra, que muito agradeço.

---------------------------------------------------------------------------------

Aproveito para deixar duas notas:

- O player do post abaixo já funciona para quem quiser ouvir.

- Este blog é aberto a participações, por isso quem quiser participar é enviar o seu texto, foto, ou até mesmo conteúdo audio ou vídeo, para o meu mail. Só não serão publicados conteúdos desapropriados do tema do blog, comerciais ou ofensivos.

---------------------------------------------------------------------------------

Apesar de estar em cima da hora deixo ainda a nota de mais um passeio que a Alagamares vai organizar Sábado 17 de Junho

---------------------------------------------------------------------------------

Da Estefânea à Vila Velha, no rasto de José Alfredo (17.06.2006)

A Alagamares-Associação Cultural realiza, neste próximo Sábado, dia 17 de Junho, pelas 10h, um passeio que visa reconstituir a história e as estórias de figuras e locais da Vila de Sintra, seguindo de perto as memórias de um dos maiores vultos da cultura sintrense do séc. XX, José Alfredo da Costa Azevedo (1907-1991), escritor, pintor, publicista e primeiro presidente da Câmara depois do 25 de Abril. Nele se falará da loja maçónica Luz do Sol, de Adães Bermudes, da Sapa e da Piriquita, do Palácio de Valenças, da Lawrence, do Paço de Sintra e muito mais.

Está também prevista uma visita à Sociedade União Sintrense e a um museu municipal (Anjos Teixeira ou Ferreira de Castro). Concentração junto à estátua do Soldado Desconhecido, na Correnteza, em Sintra. Custo: Eur 3.00. Inscrições para o 918343698 ou info@alagamares.net. Limite de 30 participantes.

Leitura prévia recomendada: OBRAS DE JOSÉ ALFREDO DA COSTA AZEVEDO I - BAIRROS DE SINTRA (1997). Edição da C.M. de Sintra, cartonada, com ilustrações, 334 páginas. Outras obras de José Alfredo, aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:23

Passeio

por Nuno Saraiva, em 13.05.05
Colares é uma zona óptima para um passeio de bicicleta. Apresento aqui três itenerários por estrada, para um passeio de manhãzinha. Fácil: Partida do largo da igreja de Colares, o melhor é beber uma garrafa de leite no Flor da Vila antes de começar o passeio. Descer em direcção à estrada principal e pedalar para Almoçageme. Ao chegar ao mercado 25 de Abril, virar à direita para a Praia Grande Ir até lá abaixo, à Praia Grande Voltar e seguir para Praia das Maçãs e Azenhas do Mar Nas Azenhas seguir em frente para Janas. Em Janas virar para o Mucifal e voltar a rumar para Colares. Médio: Mesmo trajecto até ao Mucifal No Mucifal virar para Nafarros Depois de Nafarros - Galamares e Colares novamente. Difícil: O mesmo trajecto inicial até às Azenhas Mas Azenhas, seguir para Fontanelas (virando à esquerda na escola) Seguir sempre em frente (Gouveia, Mato Grande, etc:) Ao chegar ao cruzamento, dirigir-se para a Várzea de Sintra, e lá para Lourel. Subir até Sintra, em Sintra ir até à vila. Na vila rumar para Colares, pela estrada velha (Seteais, Monserrate, Eugaria - Colares) Espero que se divirtam/deliciem tanto como eu costumo deliciar. Não se esqueçam de alguns pormenores importantes: Usar capacete; Usar camisolas claras, dado que o passeio é em estrada; Usar calções adequados, sem forro ou com forro próprio; Levar água; Levar material de reparação de furos ou telemóvel, pois pode sempre acontecer um precalço.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:05


Mais sobre mim

foto do autor








Comunique e envie os seus comentários, o que gostou, o que acha que está mal, etc.


Colares, blog da semana!

Muzicons.com





Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D