Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




II Troféu Ori-Trail/Rogaine do CPOC

por Nuno Saraiva, em 09.05.17

cp.jpg

Este é o segundo evento integrante na Taça de Portugal de Ori-Trail/Rogaine em 2017 da Federação Portuguesa de Orientação (FPO). Apesar disso, a prova é aberta a todos os atletas, quer federados ou não-federados, existindo técnicos disponíveis para briefings de introdução à orientação para todos os que necessitem.

O Ori-Trail ou Rogaine é uma disciplina de orientação pedestre, baseada na estratégia de eleger os controlos a visitar, em equipa de 2 a 5 elementos, em grandes espaços e com um tempo limite. É entregue um mapa aos atletas com um elevado número de pontos de controlo marcados, materializados no terreno por um sistema de controlo digital e uma “baliza de orientação”. A escolha dos itinerários é livre e cada controlo tem uma valorização em pontos, sendo o objetivo de cada equipa conseguir a máxima pontuação no tempo definido. O mapa a utilizar neste evento compreende a área entre as localidades de Mucifal, Nafarros, Morelinho, Gouveia, Praia de Magoito, Azenhas do Mar, Praia das Maçãs, Rodízio, Almoçageme e Colares.

O mapa é entregue 15 minutos antes do início da prova, de forma a possibilitar às equipas a sua análise e estabelecimento do percurso que acham adequado para a estratégia escolhida.

O Centro do Evento será nas instalações desportivas da União Mucifalense, onde decorrerá a Partida e a Chegada da prova, e onde existirá um espaço de Baby-sitting gratuito.

A partida é dada às 13h e a cerimónia de encerramento e entrega de prémios será às 18h.

 

O evento está criado no facebook: https://www.facebook.com/events/534276163628459/

A página oficial é: http://www.cpoc.pt/eventos.php?ev=rogaine02

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:50

Procissão do Mucifal 2015

por Nuno Saraiva, em 28.07.15

11813238_998604743503802_6504048480896252325_n.jpg

11011036_998601766837433_8500428477649890896_n.jpg

11796326_998584453505831_9192610755357085079_n.jpg

11751768_998626133501663_1149731860332652126_n.jpg

11755717_998609236836686_3707237219540333554_n.jpg

 Fotos de Júlio José Silva, pode ver mais no seu álbum no Facebook.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:41

Programa das Festas do Mucifal 2015

por Nuno Saraiva, em 21.07.15

Festas do Mucifal

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:14

Festa do Mucifal

por Nuno Saraiva, em 25.07.14

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:54

Lembrei-me da história do velho e do burro

por Nuno Saraiva, em 03.11.13

 

Colares foi mesmo uma pura região saloia como atestam diversas fotos antigas, mais a história das colarejas da Praça da RIbeira.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:35

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:12

Suspiro Noturno no Mucifal

por Nuno Saraiva, em 05.07.13
O vídeo não tem a qualidade sonora devida, mas foi giro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:03

Festas no Mucifal 2013

por Nuno Saraiva, em 05.07.13

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:45

Pedro Ventura, Candidato da CDU à Presidência da Câmara Municipal de Sintra e José Dinis, Cabeça de Lista à Junta de Freguesia de Colares visitaram a Associação de Idosos, Pensionistas e Reformados do Mucifal com o objectivo de conhecer a instituição, os problemas existentes e para afirmar que a CDU está com as instituições na defesa do direito à saúde e a uma vida digna e com qualidade para os mais idosos.



Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:03

Do Mucifal

por Nuno Saraiva, em 17.06.13

Mucifal é um lugar da freguesia de Colares pertencente ao concelho de Sintra.


Protegido a Sul pela Serra de Sintra, encimada pelo seu emblemático palácio e onde ainda se fazem sentir aqui e além os perfumes, as cores e os sons descritos por Eça e Ramalho (talvez apenas a misteriosa e enigmática casa onde foi encontrado o cadáver do inglês Rytmel já lá não esteja), bafejado a Oeste pelas Praias Grande e das Maçãs e a Leste por Nafarros, aí está o Mucifal, um recanto ubérrimo e idílico, repleto de simbolismo e de serenidade, onde se reflectem os tons do verde colorido da Serra, onde se projectam os respingos de espuma azulada do oceano, onde o cantar dos pássaros ainda atulha as madrugadas de magia, onde o Sol, ao pôr-se, se tinge de um azul amarelado, um local onde os ventos chegam carregadinhos de perfume duma abrupta e descarada maresia.


Havia de ser este Mucifal, graças à gigantesca disponibilidade, ao titânico carinho, à desmedida hospitalidade e à excelente capacidade organizativa do Agostinho Simas e da Aldina, a congregar muitos dos que outrora viveram e se formaram na “Casa Santa e Mimosa de Deus” da velhinha leal e sempre constante Angra, hoje património mundial da humanidade.

 

Para lá convergiram quatro dos antigos mestres dos anos sessenta: Cunha de Oliveira (Hebraico, Grego Koiné e Sagrada Escritura) e que colocou em “estado de choque” a Angra de então, com as homilias na igreja da Conceição, transmitidas em directo pelo velhinho Rádio Clube de Angra, o Artur Goulart (Desenho, História da Arte e Liturgia) hoje a realizar uma obra admirável de recolha e defesa do património artístico, cultural e religioso da Arquidiocese de Évora, o Horácio Noronha (História Universal e Director Espiritual) hoje párocoem Pinhal Novoe Director Espiritual do Seminário de Setúbal e o Weber Machado (Matemática e Físico-Quiímica) Director da Caritas Açoriana e recentemente agraciado com a ordem de comendador pela Presidência da República. Para lá afluíram também muitos outros que frequentaram aquele “astro a sorrir de bonança” e que assim se puderam encontrar e rever depois de anos e anos a percorrer caminhos e rumos diferentes e dispersos e, em muitos casos, bem alterados e diferenciados pelo destino.


Alguns até pela primeira vez se reencontraram, dado que há mais de 40 anos haviam rumado a vivências diferentes e a locais mais dispersos e longínquos. Ali se concentraram e reencontraram a contar histórias e aventuras de vida, a relembrar os outros que ali não estavam mas trazidos pela memória e amizade dos presentes, a recordar acontecimentos, estroinices e partidas e, sobretudo a cantar, porque era isso talvez o que de mais belo faziam, recordando horas e horas de amizade recíproca, de vivência em comum, de ternura partilhada e de esperanças conjugadas.


De 1958 compareceu o Manuel Pereira, de 1960, o João Esaú, de 1962 o Agostinho Quental e o Antonino Ávila, de 1964 o António Medeiros o António Rego e o Januário, de 1966 o Olegário Paz, de1967 o Andrade Moniz e de 1970 o Carlos Fagundes. Estiveram ainda presentes o Manuel Nóia, o Agostinho Simas, o Manuel Maciel, o Mário Carmo, o Onésimo Teotónio e o Noé Carvalho, os quais, embora não chegando a completar o curso teológico, nos anos que permaneceram no Seminário, da mesma forma que os outros, se entranharam nos mesmos ideais, se empenharam na mesma formação e se embeberam em vivências e partilhas comuns. A maioria dos presentes fez-se acompanhar pelas respectivas esposas e, nalguns casos, até por outros familiares.


Estes encontros e reencontros iniciaram-se precisamente há vinte anos. Daí que este tenha tido um significado muito especial até porque foi ocasião de recordar alguns dos seus propulsionadores, participantes efectivos e grandes dinamizadores, que infelizmente já faleceram: o Raimundo Correia, o Manuel António, o Artur Pereira, o Artur Martins e o Afonso Quental.

 

NB – Este texto foi publicado no Pico da Vigia, em 22/06/09, após eu ter participado pela primeira vez, nestes encontros.


Post no blog Pico da Vigia 2.


 

 



Vídeo de Pedro Macieira (Rio das Maçãs) (com música de José Fernandes Badajoz) e fotografia de José Maria Oliveira (Arrumário).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:58


Mais sobre mim

foto do autor








Comunique e envie os seus comentários, o que gostou, o que acha que está mal, etc.


Colares, blog da semana!

Muzicons.com





Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

subscrever feeds