Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Colares e a Blogosfera

por Nuno Saraiva, em 05.09.07
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Ia bebê-lo em Sintra, acompanhado do meu travesseirinho mas, no fim do IC19, deu-me para seguir os trilhos das praias.

Fui até próximo da Ericeira e lembrei-me de ir até às Azenhas do Mar, voltei para trás e, para azar meu, já quase meio-dia, entrei no Pôr do Sol, desta terra linda, e disse: “é já aqui”!


 


Com a anuência da minha mulher, perguntei, a uma moça, se me serviam dois cafés, pois era quase hora de almoço, mas eu tinha um compromisso e não poderia almoçar lá. Disseram-me que sim e apontou-nos uma mesa redonda, à entrada da porta, do lado direito. Ao entrar estava um casal a almoçar, se calhar, gente da casa.

A moça lá serviu os cafés e eu fiquei logo a dizer mal da vida, pois os cafés não prestavam para nada. Enquanto esperava o café, combinava com a minha mulher ir lá almoçar um dia destes. Mas apesar dos cafés nos desiludirem, fui compensado com um cinzeiro de pau-preto que estava sobre a mesa e que dizia em seu redor – Moçambique. Esta palavra despoletou-me os pensamentos para as costas do Índico e esqueci-me do café.


 

Mas quando eu bebo um café reles, fico logo com o dia estragado e mais estragado ficou quando vou pagar dois cafés que não valem nada e a moça me pede 2,20€! Claro que ninguém me mandou lá ir e se à primeira qualquer pato cai, à segunda só cai o pato que quer. Se os cafés fossem bons eu pagaria de bom grado, mas assim custou-me bem.
Resultado desta conversa. Nunca mais lá haverá almoço para mim! Não era por acaso, apesar de ser ainda cedo, que o Pôr de Sol estava vazio. Se os almoços forem como os cafés, estará tudo dito.

Mas eu sou sempre compensado e este amigo logo veio ter comigo junto às flores e disse-me que o melhor que tinha a fazer, era apreciá-lo a ele e à paisagem e foi o que fiz.


Depois iniciei viagem rumo ao destino, mas ainda, antes do almoço, parei em Colares para tirar mais umas fotos aos velhos eléctricos e à Cooperativa daqueles que foram (ainda serão?) grandes vinhos.

Agora vou falar-vos de uma Rosa. Uma Rosa especial que espero ande por aí neste rectângulo florido. Uma vez encontrei aqui uma Rosa e …

Foi exactamente aqui neste trilho do eléctrico, talvez já com uns carris novos, que eu encontrei uma das minhas Rosas perdidas. Foi em 1962. Desde esse dia nunca mais a vi!
Ia a passar com um tio meu e um amigo e reparei numa Rosa de Adrão que passava sobre o Carril do eléctrico. Disse ao meu tio que ia ali uma moça de Adrão. Ele parou o carro e disse-me para ir falar com ela. Como eu sabia que ele ia com alguma pressa, disse-lhe que não, que ficaria para uma próxima oportunidade. Ele disse-me que essa oportunidade poderia nunca mais existir e que a aproveitasse nesse dia. Verdade, verdadinha, essa oportunidade nunca mais se deu! Veio a Força Aérea, veio a Guerra, no Ultramar, e desapareceu o tempo. O tempo que então sobrava! Eu sabia que ela morava com os pais e uma irmã, em Colares, mas não sabia onde e como Colares era uma terra pequena, a oportunidade existiria, pensei, mas enganei-me. Hoje estive lá e acho que se fosse chorão, teria chorado por não aproveitar essa oportunidade. Soube mais tarde que essa Rosa foi Professora, (será?) por aí, algures, e até lá por Braga, mas nunca mais a vi!

Por isso, posso garantir-vos que nunca é bom deitarmos as oportunidades fora. Éramos crianças e poucas vezes nos víamos. Apenas, quando ela ia à terra matar saudades. Dois ou três anos depois, vi-a aqui no trilho dos eléctricos e sempre que lá passo, vejo-a caminhar serena rumo a um destino que foi o dela.


Este texto tem quase dois anos. É algo muito bem escrito, É o exemplo de como uma coisa banal como dois cafés podem fazer perder (ou não ganhar, para os mais preciosistas) um cliente.

Update:
Texto de Ventor visto aqui.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:04


4 comentários

Sem imagem de perfil

De JAIME CORVO a 09.09.2007 às 16:34

A Rosa referida no texto saudosista, linda moça da minha idade, tem ainda fam'ilia no Mucifal (irmã e mãe). Tinha,salvo erro, o apelido de solteira Cortês,
é Professora não sei se do ensino básico ou secundário, já deve ser avó.
O seu pai era o falecido Sr. Serafim, que foi sócio das padarias de Colares.
Imagem de perfil

De Ventor a 15.09.2007 às 19:39

Olá, Nuno! Olá amigos!
Venho agradecer-vos aos dois pela informação que me deram. Ao Jaime Corvo, pela informação em forma de comentário e ao Nuno Saraiva o "dono" deste Blog, por ter a amabilidade de me enviar um e-mail a informar-me. Aos dois, o meu muito obrigado. Assim, já sei que na zona do Mucifal está a minha gente e penso que poderei encontrá-las. Agora falando de Blogosfera, posso afirmar que nem tudo na Blogosfera é negativo, tal como em tudo neste mundo, há as coisas boas e as coisas más. E como esta foi uma coisa boa, o meu Quico resolveu voltar a homenagear com algumas fotos as vossas lindas terras, voltando a apresentar as Azenhas do Mar num Album de fotos aqui: http://quicofotoblog.blogs.sapo.pt/
O meu muito obrigado, Nuno.
Sem imagem de perfil

De totoia a 07.10.2007 às 22:59

Como diz o meu padrinho devemos dar uma 2ª oportunidade a tudo, até aos restaurantes :)! Comi no pôr do sol o melhor bacalhau com broa da minha vida, foi caro mas não chorei o dinheiro...

Sem imagem de perfil

De FV a 20.12.2007 às 00:10

Este restaurante está fechado desde a Páscoa desde ano...estás enganado no café...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor








Comunique e envie os seus comentários, o que gostou, o que acha que está mal, etc.


Colares, blog da semana!

Muzicons.com





Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D